Pesquisar este blog

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Poesia/ Metade


Desde do dia da minha loucura
Fiquei um tanto ambígua,
Meio incógnita,
Indecifrável,
Metafórica.
Encontrei outra identidade dentro de mim.
Inacessível às pessoas de bem.
Falava a língua dos anjos
Ou do diabo,
Dependendo da interpretação.
Depois, fiz uma fusão dos meus dois “eus”
Agora, tento me descodificar.
Encontrar lógica,
Fórmulas a solucionar
Quem é quem de mim,
Mas sinto falta de um pitada de insanidade.
De não saber ser absoluta.
O amor me exige um toque de bom senso.
Fico ,então, tentando me scaniar.
Ver se me encontro inteira.
E me vejo em duas partes:
Metade razão,
Metade delírio.
E assim sigo a reta exata
De um caminho sem chão.
Admiro o brilho do luar,
Quando ainda é dia,
Entrego–me a um grande amor
Sem garantias!

Luana Barcelos Dantas

10 comentários:

  1. Eu tb sou metade razao, metade delírio, acho que temos que ter a nossa dosagem certa. :)
    Um dia cheio de sorrisos largos pra vc amiga!

    ResponderExcluir
  2. Talvez a sanidade não faça sentido.

    ps. eu que agradeço o dialogo, as palavras e versos. =)

    ResponderExcluir
  3. Quando a gente se entrega para o amor não temos nenhuma garantia. Lindo poema. Beijinhos e um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  4. Na entrega a garantia está inserida no amor que, se bem entendido, tem muito a nos oferecer, pra não dizer tudo.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  5. Bravo!
    Intenso!
    Sou assim, sem culpas!

    Um beijo,
    Fernanda Fraga.

    ResponderExcluir
  6. a entrega é o primeiro passo para ser feliz
    e teu poema é raios de sol que inundam o meu rosto

    te seguindo e cá retornarei...

    fique com Deus!

    beijos,
    do menino

    e continuemos...

    ResponderExcluir
  7. Que blog lindo amei,amei gostei tanto que resolvi ficar,já estou a te seguir te convido a conhecer meu cantinho também se gostar fique! Tudo por aqui é lindo,parabéns pelo blog contagiante bjos de boa semana!

    http://julikotona.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Luana,

    Todos somos metade razão, metade delirio!...
    Ah!... e como o contraste nos fascina!!!

    Beijos meus,
    AL

    ResponderExcluir
  9. Amiga,

    Adorei suas poesias! A cada dia vc inspira mais as pessoas a perceberem seu interior e a desvendar seus mistérios.
    Bjs.

    Kátia Moreira

    ResponderExcluir
  10. Arrepiei com essa. Que intensidade e quanta verdade. E falando sobre estas "metades", acho que todos se identificam. Inclusive eu, claro. Suas poesias merecem um livro! Sério mesmo! Você é uma escritora inspirada e com o poder das palavras. sabe lidar com elas tão bem na poesia, coisa que eu acho dificílimo fazer. Só para quem tem o dom mesmo. E você tem! Beijos.

    ResponderExcluir

Obrigada por participar deste blog.