Pesquisar este blog

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

VIDA






Vida, vida, vida
Brota da pele, cintila
Sai pelo ventre
Embriaga
Vida, vida, vida
Misteriosamente, dança na ponta dos pés
Pulsa sangrando o coração
Vida, morte, vida
Foi-se, jaz, sentida
A eternidade não finda
Vida, o som dos teclados
O choro sentido do violino
São vozes entretidas
AH!Vida, brota das pedras
Ganha amplitude
Renova os anseios
Rompe cadeias
Destrói grilhões
 Liberta, livre, suave
Entre as folhas verdes dos sertões.



Luana Barcelos Dantas

8 comentários:

  1. Amiga, tu escreves tão lindamente. Que bela definição de vida. Beijinhos e um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela sua doce presença. Uma ótima semana, beijinhos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Luana!! Que blog cheio de textos inspiradores e reflexivos..Parabéns pelo blog, já estou te seguindo. Abraços. Sandra

    ResponderExcluir
  4. Passando para agradecer a sua visita, amiga. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  5. Um ótimo fim de semana, amiga. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Esse cotidiano da eternidade da vida em nossos sonhos, é sublime.

    ResponderExcluir

Obrigada por participar deste blog.