Pesquisar este blog

domingo, 15 de abril de 2012

Uma calma



Já me debati
E me recolhi
Sem avisar
O céu já colori
Cicatrizei minhas feridas
Para te esperar
Longas horas aflitas
Um sonho a realizar
Agora, disponho dessa calma
Desse jeito de me dar
Agora, tudo é deleite
Não deixo o tempo me apertar
Sou filha do vento
Não tenho lamento a me angustiar
Sou filha das águas
Das ondas do mar a borbulhar
Sou leveza da cigarra
Agora, só sei cantar!


Luana Barcelos Dantas

2 comentários:

  1. Luana, Querida

    Transparece a calma e (parece) algum sentimento de resignação.
    Mas é um Poema lindo!


    Beijos

    SOL
    http://acordarsonhando.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Tentamos um pouco de tudo até ser paz.

    ResponderExcluir

Obrigada por participar deste blog.